Avançar para o conteúdo

e-posters

Como já é tradição, o Encontro Ciência 2024 conta com uma mostra de e-posters científicos.

Todos os anos, contamos com centenas de posters submetidos. No local do evento, é sempre uma área muito concorrida. É também lá que esperamos que se reúna toda a comunidade científica.

Convidamos a apresentar e-posters e conhecer melhor o trabalho desenvolvido por investigadores/as da nossa comunidade científica e tecnológica.

Os e-posters serão expostos na Mostra de Ciência e Tecnologia, em formato Videowall e ficarão igualmente expostos na Galeria Virtual, no website e na app do Encontro Ciência 2024.

Submissão até 21 de junho em https://app.encontrociencia.pt/new-visitor

Áreas Científicas

Ciências Agrárias

Ciências da Engenharia e Tecnologia 

Ciências Exatas

Ciências Médicas e da Saúde

Ciências Naturais

Ciências Sociais

Humanidades e Artes

Especificações Técnicas

  • Tipo de ficheiro obrigatório: PDF
  • Peso máximo de ficheiro: 5 Mb
  • Dimensões do e-poster: 100 cm x 70 cm ou, em pixéis: 3937px alt x 2755px larg (100dpi) (ver template de exemplo)
  • Idioma: Português (preferencial) ou inglês

Estrutura e Formatação

Recomenda-se a utilização de um tamanho de letra não inferior a 46 pontos para os títulos e 16 pontos para o corpo de texto.

De modo a promover a qualidade do trabalho, recomenda-se ainda que o e-poster inclua as seguintes secções:

  • o título do trabalho; 
  • o(s) nome(s) do(s) autor(es); 
  • nome e/ou logótipo da instituição onde o trabalho foi desenvolvido; 
  • logótipo do Encontro Ciência 2024 [link para download]; 
  • o endereço de email do(s) autor(es), em letras menores.

Recomendamos ainda a inclusão dos seguintes conteúdos:

  • introdução (clara e concisa); 
  • objetivos; 
  • metodologia; 
  • resultados obtidos / preliminares (dependendo da fase do trabalho de investigação em curso); 
  • conclusões já alcançadas ou esperadas (incluindo impacto social e científico do trabalho); 
  • referências (entre 1 e 5 referências utilizando o estilo de referência Harvard) ;

Processo de Revisão

Os e-posters submetidos passarão por um processo de verificação de cumprimento das normas por uma Comissão designada para o efeito.

A organização reserva-se o direito de não expor os e-posters que não observem as normas de submissão definidas.

Exposição de e-posters

Os e-posters aprovados serão expostos na Mostra de Ciência Tecnologia, em formato Videowall, e (mediante autorização prévia dos autores), ficarão igualmente expostos numa Galeria Virtual, no website e app do Encontro Ciência 2024.

Serão considerados apenas os e-posters submetidos dentro do prazo estabelecido para o efeito.

Regulamento

Como se pode candidatar?

Coordenadora do Departamento Socioeconómico das Pescas no CETMAR (Centro Tecnológico del Mar) desde 2002. Doutorada em Direito, tem uma vasta experiência em política das pescas e governação da aquacultura e das pescas. Colabora com a FARNET European Network of Local Fishing Action Groups (agora FAMENET) desde 2013, centrando-se no desenvolvimento local participativo. Rosa participou em vários projetos europeus relacionados com a gestão das pescas e da aquicultura, nomeadamente com a inovação e o impacto socioeconómico. Coordenou grupos de trabalho em projetos H2020 como o PrimeFIsh, o AquaVitae, o ClimeFish ou o FarFish, e projectos Interreg como o Cabfishman, focando-se na participação das partes interessadas, disseminação e comunicação. Contribuiu para relatórios da FAO e da IUCN e esteve envolvida em projetos de cooperação para a participação e formação de mulheres em aquacultura no Vietname e no Senegal, bem como em projetos de geminação na Roménia e na Bulgária para a implementação da Política Europeia das Pescas. Coordenou a criação de Grupos de Ação Local de Pesca na Galiza e está atualmente envolvida em projetos relacionados com a Economia Azul e a Estratégia do Prado ao Prato. Faz parte do consórcio para o Observatório da Economia Azul da UE e co-facilita um grupo de trabalho sobre a Economia Azul para implementar os Fundos de Resiliência e Recuperação (NextGenerationEU) na Galiza.

A segunda pergunta pertinente?

Coordenadora do Departamento Socioeconómico das Pescas no CETMAR (Centro Tecnológico del Mar) desde 2002. Doutorada em Direito, tem uma vasta experiência em política das pescas e governação da aquacultura e das pescas. Colabora com a FARNET European Network of Local Fishing Action Groups (agora FAMENET) desde 2013, centrando-se no desenvolvimento local participativo. Rosa participou em vários projetos europeus relacionados com a gestão das pescas e da aquicultura, nomeadamente com a inovação e o impacto socioeconómico. Coordenou grupos de trabalho em projetos H2020 como o PrimeFIsh, o AquaVitae, o ClimeFish ou o FarFish, e projectos Interreg como o Cabfishman, focando-se na participação das partes interessadas, disseminação e comunicação. Contribuiu para relatórios da FAO e da IUCN e esteve envolvida em projetos de cooperação para a participação e formação de mulheres em aquacultura no Vietname e no Senegal, bem como em projetos de geminação na Roménia e na Bulgária para a implementação da Política Europeia das Pescas. Coordenou a criação de Grupos de Ação Local de Pesca na Galiza e está atualmente envolvida em projetos relacionados com a Economia Azul e a Estratégia do Prado ao Prato. Faz parte do consórcio para o Observatório da Economia Azul da UE e co-facilita um grupo de trabalho sobre a Economia Azul para implementar os Fundos de Resiliência e Recuperação (NextGenerationEU) na Galiza.

Mais alguma questão?

Coordenadora do Departamento Socioeconómico das Pescas no CETMAR (Centro Tecnológico del Mar) desde 2002. Doutorada em Direito, tem uma vasta experiência em política das pescas e governação da aquacultura e das pescas. Colabora com a FARNET European Network of Local Fishing Action Groups (agora FAMENET) desde 2013, centrando-se no desenvolvimento local participativo. Rosa participou em vários projetos europeus relacionados com a gestão das pescas e da aquicultura, nomeadamente com a inovação e o impacto socioeconómico. Coordenou grupos de trabalho em projetos H2020 como o PrimeFIsh, o AquaVitae, o ClimeFish ou o FarFish, e projectos Interreg como o Cabfishman, focando-se na participação das partes interessadas, disseminação e comunicação. Contribuiu para relatórios da FAO e da IUCN e esteve envolvida em projetos de cooperação para a participação e formação de mulheres em aquacultura no Vietname e no Senegal, bem como em projetos de geminação na Roménia e na Bulgária para a implementação da Política Europeia das Pescas. Coordenou a criação de Grupos de Ação Local de Pesca na Galiza e está atualmente envolvida em projetos relacionados com a Economia Azul e a Estratégia do Prado ao Prato. Faz parte do consórcio para o Observatório da Economia Azul da UE e co-facilita um grupo de trabalho sobre a Economia Azul para implementar os Fundos de Resiliência e Recuperação (NextGenerationEU) na Galiza.

Ainda outra?

Coordenadora do Departamento Socioeconómico das Pescas no CETMAR (Centro Tecnológico del Mar) desde 2002. Doutorada em Direito, tem uma vasta experiência em política das pescas e governação da aquacultura e das pescas. Colabora com a FARNET European Network of Local Fishing Action Groups (agora FAMENET) desde 2013, centrando-se no desenvolvimento local participativo. Rosa participou em vários projetos europeus relacionados com a gestão das pescas e da aquicultura, nomeadamente com a inovação e o impacto socioeconómico. Coordenou grupos de trabalho em projetos H2020 como o PrimeFIsh, o AquaVitae, o ClimeFish ou o FarFish, e projectos Interreg como o Cabfishman, focando-se na participação das partes interessadas, disseminação e comunicação. Contribuiu para relatórios da FAO e da IUCN e esteve envolvida em projetos de cooperação para a participação e formação de mulheres em aquacultura no Vietname e no Senegal, bem como em projetos de geminação na Roménia e na Bulgária para a implementação da Política Europeia das Pescas. Coordenou a criação de Grupos de Ação Local de Pesca na Galiza e está atualmente envolvida em projetos relacionados com a Economia Azul e a Estratégia do Prado ao Prato. Faz parte do consórcio para o Observatório da Economia Azul da UE e co-facilita um grupo de trabalho sobre a Economia Azul para implementar os Fundos de Resiliência e Recuperação (NextGenerationEU) na Galiza.

Voluptatibus ipsum eaque sed nulla. Iusto in iure consequatur et fuga rerum consectetur maxime?

Coordenadora do Departamento Socioeconómico das Pescas no CETMAR (Centro Tecnológico del Mar) desde 2002. Doutorada em Direito, tem uma vasta experiência em política das pescas e governação da aquacultura e das pescas. Colabora com a FARNET European Network of Local Fishing Action Groups (agora FAMENET) desde 2013, centrando-se no desenvolvimento local participativo. Rosa participou em vários projetos europeus relacionados com a gestão das pescas e da aquicultura, nomeadamente com a inovação e o impacto socioeconómico. Coordenou grupos de trabalho em projetos H2020 como o PrimeFIsh, o AquaVitae, o ClimeFish ou o FarFish, e projectos Interreg como o Cabfishman, focando-se na participação das partes interessadas, disseminação e comunicação. Contribuiu para relatórios da FAO e da IUCN e esteve envolvida em projetos de cooperação para a participação e formação de mulheres em aquacultura no Vietname e no Senegal, bem como em projetos de geminação na Roménia e na Bulgária para a implementação da Política Europeia das Pescas. Coordenou a criação de Grupos de Ação Local de Pesca na Galiza e está atualmente envolvida em projetos relacionados com a Economia Azul e a Estratégia do Prado ao Prato. Faz parte do consórcio para o Observatório da Economia Azul da UE e co-facilita um grupo de trabalho sobre a Economia Azul para implementar os Fundos de Resiliência e Recuperação (NextGenerationEU) na Galiza.